O maximalismo virou tendência

Nos últimos anos, o minimalismo foi a tendência mais presente no universo do design. Ambientes arejados, com poucos elementos, tons claros e modernistas foram aspectos que reinaram nos projetos mundo afora. Recentemente, uma tendência contrária a essa proposta tem conquistado espaço: o maximalismo.

Sasha Bikoff é uma das principais referências entre os que bebem de inspirações maximalistas. Designer de interiores novaiorquina, ela possui um olhar excêntrico e um entendimento do que é necessário para equilibrar cores agressivas, padrões ousados, texturas e adornos em um mesmo ambiente. Para ela, um dos aspectos mais significativos do maximalismo é que, ao contrário do que acontece no minimalismo, existe muito mais liberdade para criar e ousar.

Alguns elementos chave da proposta são a sobreposição, as estampas variadas, cores vivas e diversas, texturas, um grande número de adornos e uma mistura de estilos e décadas. Em geral, os ambientes criados a partir dessa mentalidade possuem um potencial para serem mais pessoais do que os minimalistas. Isso tem a ver com a ideia de inclusão de elementos com valor sentimental na decoração desses espaços.

É importante ressaltar que, para funcionar, a combinação de cores e objetos exige equilíbrio e lógica. Vale a pena conhecer o estilo e manter em mente que existe a possibilidade de usar as referências maximalistas em parte da decoração sem fazê-la toda nessa linha.